Diagnóstico de Fibromialgia (informe publicitário)

leme-instituto-terapeutico

Por Leme Instituto Terapêutico
Atendimento Terapêutico:

Gláucia Herte de Moraes.
Endereço de correspondência: Rua Dr. Flores, 105/207, Centro, Porto Alegre-RS
Contato: 51 9673-8375


 

Enfatizamos que apenas médicos fazem diagnóstico de Fibromialgia. Portanto, o fibromiálgico deve estar diagnosticado por um médico para ser tratado com a Lemeterapia.

Ainda não existe uma forma direta para se fazer o diagnóstico de Fibromialgia. A medicina não dispõe de um exame específico que possa afirmar que alguém que sente dores generalizadas pelo corpo tenha com certeza Fibromialgia. Sendo assim, os médicos precisam fazer algumas dezenas de exames para excluir outras possibilidades, para depois chegarem à conclusão de que seu paciente tem Fibromialgia.

Uma vez tendo o diagnóstico de Fibromialgia, basta procurar uma das unidades do Leme Instituto Terapêutico para fazer uma avaliação de seu caso e iniciar o tratamento através da Lemeterapia. Em Porto Alegre, poderá entrar em contato pelo telefone (51) 9673-8375, com a terapêuta Gláucia Herte de Moraes ou consulte outra unidade no site www.fibromialgia.net.br.

 

Como os médicos fazem o diagnóstico de Fibromialgia

Para o correto diagnóstico, normalmente os médicos costumam pedir uma lista de exames que eliminam a possibilidade de outras moléstias que também causam dores por todo o corpo. Uma vez constatado que não se trata de nenhuma delas, ele fará toques com os dedos ou com dolorímetro em nove pares de pontos específicos no corpo do paciente e verificará se mais de 10 pontos estão sensíveis e se as dores perduram por mais de três meses, constatará ser um caso de Fibromialgia. O fato de existir ou não sintomas secundários como depressão, dor de cabeça, distúrbios gástricos, distúrbios do sono, etc., não anula o diagnóstico. Portanto, o paciente poderá ter ou não estes sintomas secundários e o diagnóstico de Fibromialgia se baseará apenas no fato de serem negativos os exames das outras moléstias e de serem positivos os toques nos pontos específicos da Fibromialgia (vide abaixo), com mais de 10 deles e a permanência das dores por mais de três meses.

18 Pontos da Fibromialgia

pontos-fibromialgia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Home Health Care Physical Therapy

 

Conheça quais são as causas das manifestações associadas á Fibromialgia

Há vários estudos científicos procurando buscar o motivo das dores causarem depressão, ansiedade, problemas gástricos, dores de cabeça, etc., mas são pouco conclusivos.

A hipótese mais aceita seria que as dores generalizadas pelo corpo e principalmente a insistência delas diariamente geraria um quadro de estresse muito forte tanto físico, mental, como emocional. No caso da Fibromialgia, temos quase sempre um organismo extremamente estressado, podendo sofrer diversos tipos de problemas funcionais em seus órgãos e também em glândulas importantes, além de ter sua vida totalmente modificada em termos de atividades. Quem sofre dores permanentes dificilmente consegue praticar atividade física, pois se locomove muito lentamente ou pouco se movimenta, evita caminhar e com tudo isso o organismo também colhe os amargos frutos deste obrigatório sedentarismo. Mesmo que profissionais da saúde prescrevam atividades físicas para que os fibromiálgicos, nos casos medianos e graves se torna impossível realizar tais atividades.

 

Conheça como a Lemeterapia trata as causas da Fibromialgia

A Lemeterapia tem alcançado sucesso ao tratar as causas da Fibromialgia a cada novo caso atendido. Tratando o corpo apenas com a manipulação dos músculos pelos terapeutas com a Lemeterapia, as lesões são sanadas gradualmente no decorrer das sessões. As dores de diferentes intensidades deixam de ser sentidas. Consequentemente os estresses e o sono gradualmente se normalizam e dezenas de manifestações associadas também vão desaparecendo. De forma gradual, as medicações vão sendo reduzidas com o pleno consentimento médico, por já não serem mais necessárias. Conforme a terapia vai avançando o fibromiálgico volta a ter uma vida normal sem dores e sem as manifestações associadas, não precisando mais utilizar qualquer tipo de medicação referente à Fibromialgia. Esporadicamente ele poderá precisar de sessões de manutenção, com a frequência média de duas sessões a cada dois anos.


Publicado em 29 de Janeiro de 2016

FONTE:

leme-instituto-terapeutico

Próximo Artigo…
Voltar ao menu Home
Compartilhe Saúde! Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someonePrint this page

About the author: Jornal CS

Leave a Reply

Your email address will not be published.