Confira algumas sugestões para amigos e familiares ajudarem um paciente com câncer

Fonte: Centro de Combate ao Câncer


 

Confira algumas sugestões para amigos e familiares ajudarem um paciente com câncer e dicas importantes para aqueles que vão cuidar do doente.

O dia a dia de quem cuida de um paciente com câncer é bastante atarefado. Diante do diagnóstico, algumas mudanças e adaptações deverão ser feitas por todos os membros da família. É muito importante que cada um compreenda sua função nesse momento. Consideramos que existem dois tipos de cuidador:
  • Cuidador formal
    Aquele que possui habilidades técnicas específicas na área da saúde ou nos serviços sociais, como enfermeiro, auxiliar de enfermagem, psicólogo, etc. Geralmente, recebem pagamento pelos seus serviços.
  • Cuidador informal
    Aquele que provê cuidados e assistência para o paciente em seu cotidiano. Na maioria das vezes, essa função é desempenhada em um contexto familiar ou de amizade próxima, sem remuneração.
Quando você, cuidador informal, sentir-se cansado e sem condições físicas e emocionais para oferecer esse auxílio, deve procurar a ajuda de um cuidador formal. Portanto, preste atenção às suas próprias necessidades. Estabeleça limites para o que você pode fazer e, principalmente, peça ajuda antes de se sentir esgotado. Lembre-se que o cuidador formal poderá ajudar muito nesse momento. Aprender a dividir as tarefas é fundamental em tal período. Delegue tarefas e pergunte quem pode fazer o quê. É fundamental que você saiba que não precisa dar conta de tudo sozinho.
A seguir apresentamos algumas dicas para os cuidadores:
Que cuidados devo ter para proteger meu paciente e as pessoas que ajudam a cuidar dele?
  • Lave sempre as mãos com água e sabão antes e depois que cuidar do seu paciente.
  • Retire anéis, pulseiras e relógios porque eles podem transmitir doenças ao paciente.
  • Dê banhos regulares no paciente.
  • Mantenha a casa limpa e arejada, principalmente o quarto do paciente.
  • Mantenha roupas de cama limpas e troque-as regularmente.
  • Procure não deixar que pessoas com gripe, resfriado ou outra virose fiquem abraçando e beijando o seu paciente.
Como diminuir o risco de queda?
  • Retire tapetes do caminho do paciente.
  • Evite que o paciente ande de meia.
  • Dê preferência ao uso de calçado de borracha.
  • Não deixe os pisos encerados ou molhados.
  • Mantenha os locais por onde o paciente anda bem iluminados.
  • Afaste os móveis para facilitar a locomoção do paciente.
  • Coloque tapetes antiderrapantes dentro e fora do banheiro, principalmente no local do banho.
  • No caso de uso de cama hospitalar, mantenha sempre as grades elevadas, especialmente na ausência do cuidador formal.
  • No caso de cadeira de rodas, antes de mobilizar o paciente, confira se as rodas estão travadas.
  • Evite que o paciente fique desacompanhado em casa.
Como fazer a higiene bucal do paciente?
  • A limpeza da boca (dentes e língua) deve ser feita pelo menos duas vezes por dia (manhã e noite) e após cada refeição.
  • Se o paciente não conseguir usar a escova, deve fazer bochecho com cepacaína.
Como faço para virar o paciente na cama?
  • Fique do lado correspondente ao movimento de rolar, para evitar a queda do paciente.
  • Se ele estiver de barriga para cima, peça que dobre os joelhos. Caso não tenha forças, faça isso por ele.
  • Peça que gire os joelhos dobrados para o lado desejado junto com o tronco (virada em bloco). Você poderá ajudá-lo apoiando uma mão no quadril dele e a outra atrás do ombro.
Como faço para levantar meu paciente da cama?
  • Vire o paciente para o lado desejado antes de levantá-lo.
  • Evite levantá-lo de barriga para cima, para que ele não machuque a coluna.
  • Quando for virá-lo de lado, vire o tronco e pernas num só movimento (em bloco), evitando assim torções de coluna.
  • Para chegar até a posição sentada, levante o paciente abraçando-o pelo tronco.
  • Evite puxar ou segurar o paciente por um braço ou perna. Dessa forma você diminui o risco de machucá-lo.
Que cuidados devo ter ao ajudar o paciente a sentar-se?
  • Sempre que for sentar seu paciente, dê preferência a assentos mais altos, próximos à altura dos joelhos.
  •  Lembre-se de encostar a parte de trás dos joelhos do paciente no sofá, na cama ou na cadeira antes de sentá-lo.
Falta de apetite do paciente: como alimentá-lo?
  •  Não force muita comida na hora da refeição.
  •  Use pratos pequenos.
  •  Ofereça alimentação variada, mesmo que seja em pequena quantidade.
  •  Faça do momento da refeição uma hora prazerosa e tranquila.
O que fazer quando o paciente tem prisão de ventre?
  •  Use corretamente a medicação laxativa que o médico prescrever.
  •  Estimule-o a beber líquidos (água, suco, água de coco).
  •  Estimule-o a se movimentar sempre que possível.
  •  Use alimentos laxativos conforme orientação do nutricionista.
Uma tarefa que requer uma atenção especial é quando o paciente está acamado. Devido ao estado de saúde, essas pessoas, na maioria dos casos, encontram-se debilitadas e precisam de apoio, paciência e compreensão.
Os cuidados com a higiene, alimentação e transporte são fundamentais para evitar problemas durante o tratamento. Manter a limpeza do ambiente, do leito e o cuidado nas trocas de roupas, no banho e no preparo dos alimentos deve ser rotina para evitar infecções e complicações. Não só o cuidador, mas todas as pessoas que têm contato com o acamado devem manter a higiene e sempre lavar bem as mãos antes de tocar em qualquer utensílio ou alimento do paciente.
Mais do que cuidar do corpo, as pessoas doentes precisam também de apoio moral para não se sentirem um “peso” para seus familiares e cuidadores. Trabalhar a autoestima pode ajudar muito na melhora do estado do paciente. Por isso, é função de todos que convivem com ele garantir que se sinta querido e, sempre que possível, integrá-lo às atividades da família.
Para melhor auxiliar no cuidado do paciente acamado, confira as sugestões abaixo:
Como dar banho no paciente acamado?
  • Separe os seguintes materiais: 2 vasilhas, 1 toalha de banho, 1 sabonete líquido ou em barra, 2 panos pequenos e 1 lençol.
  • Coloque água morna nas duas vasilhas.
  • Molhe o pano na água que estiver com sabão.
  • Comece lavando o rosto e ensaboando a parte da frente do corpo do paciente.
  • Com o outro pano molhado em água limpa, enxague.
  • Seque o corpo do paciente com a toalha de banho.
  • Vire o paciente de lado e lave as costas repetindo o mesmo procedimento.
Como trocar a fralda do meu paciente?
  • Vire o paciente totalmente de lado e coloque a fralda o máximo que puder por baixo dele.
  • Vire-o totalmente para o outro lado e puxe a fralda.
  • Coloque o paciente de barriga para cima e feche a fralda.
Higiene corporal
  • Deixe que o paciente escolha a melhor hora para seu banho.
  • Se ele puder fazê-lo sozinho, organize todo o material necessário e coloque–o próximo dele.
  • Não o deixe completamente só, pois ele pode precisar de sua ajuda se algo errado acontecer.
  • Verifique a temperatura da água. O paciente pode não perceber a temperatura, se alguma parte do corpo dele estiver menos sensível.
  • Aproveite para, depois do banho, massagear a pele dele com um creme hidratante.
Cuidados com a pele e prevenção de escaras
  • Observe se há lugares em que a pele pareça avermelhada (ombros, nádegas, calcanhar etc.).
  • Caso observe essas regiões avermelhadas, talvez seja necessário providenciar um colchão do tipo “caixa de ovo”. Coxins bem macios ou protetores de espuma também podem ser úteis.
  • As feridas devem permanecer cobertas para que não pousem moscas e fiquem com larvas. Caso isso aconteça, leve o paciente imediatamente para a emergência.
  • Use luvas.
  • Mude o paciente de posição de três em três horas, de forma que fique sempre confortável.
  • Massageie os locais de maior contato com o colchão para ativar a circulação.
  • Hidrate a pele do paciente conforme orientação do enfermeiro.
Como cuidar das escaras?
  • Retire o curativo sujo com cuidado, sempre molhando com água limpa ou soro fisiológico.
  • Lave bem as mãos.
  • Lave bem a ferida com uma gaze umedecida com água limpa ou soro fisiológico, passando ao redor. Use outra gaze para o meio da ferida. Por fim, seque com uma gaze sem esfregar.
  • Cubra a ferida com gaze umedecida na solução orientada pelo enfermeiro.
  • Use esparadrapo ou atadura de crepom para prender a gaze.
  • Jogue as gazes no lixo e lave as mãos novamente.
Higiene bucal
  • A higiene bucal deve ser feita pela manhã, noite e após cada refeição.
  • Procure uma escova dental bem macia, que se adapte melhor às necessidades do paciente.
Cuidados nas refeições
  • Estimule o paciente a fazer suas refeições sozinho, sempre que isso for possível, mesmo que no começo ele o faça muito lentamente.
  • O prato, os talheres, o copo ou a xícara devem estar adaptados para facilitar o seu uso.
  • Coloque-o com a cabeceira bem elevada se a refeição for feita no leito (travesseiros podem ajudar a alcançar a melhor posição).
  • Não se esqueça de oferecer líquidos, mesmo que ele não os solicite. Lembre-se de que é importante mantê-lo hidratado.
  • Observe a temperatura do alimento antes de servi-lo. Lembre-se de que o paciente pode ter alguma redução na sensibilidade, o que dificulta a percepção da temperatura.
  • Observe se as refeições estão sendo bem aceitas. Caso contrário, procure a nutricionista para conhecer outras opções de dieta.
  • A dor desestimula o apetite. Portanto, certifique-se de que o paciente esteja medicado com os analgésicos prescritos pelo médico para que a dor não dificulte a alimentação.
  • Se for possível, ofereça sempre pequenas quantidades de comida e permita que o paciente escolha entre várias opções de alimentos.
  • No caso dos pacientes com problemas na movimentação dos braços, lembre-se de sempre colocar os alimentos e a água próximos.
Cuidados na hora de dar os remédios
  • A organização dos remédios (com suas doses e horários) deve ser feita com muita atenção. Esclareça suas dúvidas com os médicos antes de oferecer os remédios.
  • Não se esqueça de verificar sempre a data de validade dos medicamentos.
  • Não ofereça comprimidos, cápsulas ou outros medicamentos que devem ser engolidos, quando o paciente estiver deitado. Mantenha a cabeceira bem elevada. Se não for possível conseguir uma cama adaptada, use travesseiros ou almofadas grandes.
  • Se não for possível elevar a cabeceira, vire-o de lado.
  • Se houver dificuldade de engolir os comprimidos, triture-os e dissolva o pó em uma pequena quantidade de água.
Higienização das mãos
Embora as mãos pareçam limpas, existem milhões de bactérias e micróbios que podem se esconder embaixo das unhas, mesmo depois de lavar as mãos com bastante água. A forma descrita abaixo é a mais eficiente para eliminar grande parte dos germes. Siga essas instruções na hora de preparar as refeições e fazer curativos.
  • Pegue um sabonete ou mesmo um sabão de lavar roupa e esfregue as mãos por um minuto, mais ou menos.
  • Enxague-as, tirando todo o sabão desta primeira lavagem.
  • Ensaboe-as novamente e, desta vez, concentre-se nos dedos e unhas.
  • Procure lavar dedo por dedo de todos os lados.
  • Com uma espátula de unhas (igual a que se usa para tirar o excesso de esmalte), limpe embaixo delas.
  • Com as mãos ainda cheias de sabão, lave a parte da torneira que você vai tocar para fechá-la.
  • Enxague as mãos e a torneira.
  • Após fechar a torneira, seque suas mãos com uma toalha bem limpa.
Transporte para a cadeira de rodas ou para a cama
  • Coloque a poltrona ou cadeira de rodas bem próxima à cama, de preferência do lado não afetado.
  • Quando for transferir o paciente para a poltrona, traga-o para a beirada do leito. Não se afaste nesse momento, pois ele poderá ter tonturas e cair.
  • Para ter uma boa base de apoio, mantenha seus pés um pouco afastados: um apontando para a cama e o outro para a cadeira de rodas.
  • Apoie os braços dele sobre os ombros.
  • Os seus joelhos devem estar um pouco flexionados e suas mãos devem segurar a cintura do paciente.
  • Se quiser melhorar o apoio, coloque nele um cinto bem largo para poder segurá-lo com mais firmeza.
  • Caso ele não possa sair do leito, procure mudá-lo de posição várias vezes durante o dia (deitar de lado ou de costas).
  • Para colocá-lo novamente no leito é só seguir esses passos em sequência invertida.
Como ajudar a ir ao banheiro
O paciente vai precisar frequentemente de ajuda para ir ao banheiro. Ele deve sentir-se à vontade para chamar o cuidador quando precisar. Procure lhe dar a maior privacidade possível.
  • Se houver pessoas no quarto, peça para saírem por um instante.
  • Em vez de fazer suas necessidades no leito, é preferível que o paciente vá ao banheiro (sozinho ou acompanhado) mesmo que seja com alguma dificuldade.
  • Coloque no banheiro todo o material de higiene de que ele poderá precisar em um lugar de fácil acesso.
  • Peça orientações à equipe de enfermagem sobre como limpar o paciente após as evacuações.
Dicas
  • Faça uma lista das tarefas do dia e procure fazer primeiro as relacionadas com o   seu paciente.
  • Talvez ele tenha dificuldade em se expressar. Tenha paciência.
  • Repita as perguntas quantas vezes forem necessárias. Pode ser que ele tenha tido dificuldade em entendê-las.
  • Não permita que outras pessoas ou membros da família falem sobre problemas na sua presença. Isso pode deixá-lo angustiado.
  • Quando se sentir cansado ou estressado, divida com outro familiar as tarefas. O trabalho de cuidar é de toda a família.
  • Se tiver dificuldades ou dúvidas sobre os cuidados a serem prestados, entre em contato com a equipe médica. Um profissional poderá orientá-lo por telefone (talvez não haja necessidade de comparecer à clínica).
  • Se for necessário, o Setor de Emergência dos hospitais funciona 24 horas por dia, todos os dias.

 

botao_voltar_sumario

pagina_inicial_JPG

botao_proximo_artigo_gif

Compartilhe Saúde! Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someonePrint this page

About the author: Jornal CS

Leave a Reply

Your email address will not be published.