DHEA: o que é e para que serve?

DHEA é um hormônio de ação esteroide anabólica, sendo produzido pelas glândulas adrenais e suprarrenais a partir do colesterol.
A ciência ainda não conhece tudo sobre o DHEA e sobre seus efeitos em nosso organismo, embora já tenha conhecimento de que seja um precursor dos hormônios sexuais masculinos e femininos, incluindo a testosterona e o estrogênio.
Nosso corpo produz naturalmente o DHEA e a produção atinge o pico depois dos vinte anos de idade, começando a diminuir depois dos trinta. A redução é mais rápida em mulheres do que em homens e níveis mais baixos do hormônio são encontrados em pessoas com distúrbios hormonais, com mal de Alzheimer, com doenças cardíacas e depressão, com inflamações e com transtornos no sistema imunológico, com osteoporose e naquelas contaminadas pelo vírus HIV.
Além disso, corticosteroides, anticoncepcionais orais e agentes de tratamento de transtornos psiquiátricos são responsáveis pela redução dos níveis de DHEA.

DHEA: benefícios e como age em nosso organismo

 Sendo um precursor do hormônio denominado androstenediona que, por sua vez, é o precursor da testosterona e androgênio, ajuda a manter os níveis hormonais no nosso organismo.
Mesmo que em menores quantidades do que alguns outros hormônios, o DHEA, usando corretamente, pode garantir ao homem e à mulher melhor aproveitamento dos seus hormônios sexuais.
Presente naturalmente no organismo, o DHEA, no entanto, não é constante durante toda a vida, como ocorre com os hormônios sexuais. A produção de cortisol em nosso corpo é aumentada com a idade e, de maneira inversa, os hormônios sexuais são reduzidos.
O DHEA ajuda nessa função, mantendo os níveis de hormônio sexual dentro da quantidade desejada para manter a libido.
Com o uso do DHEA, uma série de fatores são melhorados no organismo, como, por exemplo:
  • Sensível melhora da libido e maior disposição orgânica;
  • Aumento da síntese proteica e do metabolismo;
  • Melhoria da função da insulina;
  • Aumento da força muscular;
  • Redução das doenças degenerativas;
  • Melhora dos transtornos mentais.
Esses efeitos fizeram com que o DHEA fosse considerado o hormônio da juventude e, certamente, os benefícios são decorrentes de doses certas e da correta utilização.

Efeitos colaterais do DHEA

DHEA é um hormônio e, por isso, deve ser usado sob a supervisão e recomendação médica. Crianças e mulheres grávidas ou lactantes não devem usa-lo.
Entre os efeitos colaterais constatados com o uso do DHEA estão a acne, a insônia, a fadiga, a pele oleosa, dores abdominais, perda de cabelo, congestão nasal, aumento dos níveis de colesterol, aceleração do batimento cardíaco e palpitações.
Em mulheres, o DHEA pode provocar mudanças no ciclo menstrual, crescimento nos pelos faciais e engrossamento da voz. Em homens, pode ocorrer aumento dos seios e sensibilidade na região, além de agressividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *